Botswana Mozambique South Africa Zimbabwe Sobre Como Usar Glossário Documentos Imagens Mapas Google Earth go
Favor fornecer feedback! Clique para detalhes
Home The River Basin People and the River Governance Resource Management
A Bacia do Rio
 Introdução
Geografia
Clima e Tempo
Hidrologia
Qualidade da Água
 Princípios
 Impactos Humanos na Qualidade da Água
 Água Subterrânea
 Efluentes Agrícolas e Eutrofização
 Indústria e Mineração
 Efeitos das Minas
Campo de Carvão de Waterberg
 Salinidade
 Dureza
 Organismos Microbiológicos e Patogénicos
 Metais Pesados
 Poluentes Orgânicos Persistentes
 Temperatura da Água
 Radio-Nuclídeos
 Estudo de caso
 Adequação ao Uso
Ecologia e Biodiversidade
Resumos das Sub-Bacias
 Referências

 



Feedback

send a comment

Feedback

 

Campo de Carvão de Waterberg  

Os quatro dos principais rios da bacia do rio Limpopo (rios Lephala, Mokolo, Matlabas e Mogalakwena) têm origem no Waterberg. Esta área tem também subjacente um importante campo de carvão. O campo de carvão foi inicialmente descoberto na década de vinte mas nesta altura foi considerado demasiado remoto para ser explorado. Com o aumento da procura de energia na África do Sul, condicionado pelo crescimento económico e o aumento populacional, aviabilidade da exploração desta área para a produção de energia está a ser reavaliada. Estima-se que a área fornece carvão suficiente para fazer funcionar até 8 geradores de energia para os próximos 150 a 200 anos (CSIR 2009). Contudo, este processo podia contribuir para mudanças dramáticas no ecossistema aquático de Waterberg, por si já bastante sob pressão (CSIR 2010).

Propostas de Exploração

A Central de energia de Medupi é a maior central de produção de electricidade a carvão encomendado por Eskom nos últimos 80 anos. Já que a região é tão carente de água, ela será operada com condensadores refrigerados a ar. A mina de carvão de Exxaro’s Grootegeluk, também em Lephalala, será ampliada para acomodar a crescente procura de carvão (CSIR 2010).

Espera-se que a deposição atmosférica destas minas de carvão propostas e das centrais de produção de energia altere grandemente o ecossistema presente. Adicionalmente, novos grupos habitacionais para albergar empregados e agricultura associada para alimentar os trabalhadores e suas famílias contribuirão para maior degradação do ecossistema (CSIR 2009).


Vazamento de efluente ácido de uma mina abandonada num tributário do rio dos Elefantes.
Fonte: CSIR 2010
( clique para ampliar )

Situação actual do Estudo do Ecossistema Aquático

O estudo da CSIR sobre o status ecológico dos rios e terras húmidas no Waterberg pretende minimizar as consequências adversas potencias de novas centrais de energia e exploração de minas na área. Este será o primeiro estudo desta natureza a ser levado a cabo antes da instalação de grandes empreendimentos infraestruturais, como por exemplo, o da estacão de produção de energia do Medupi, que está sendo construída próximo de Lephalala (anteriormente designado Ellisras) (CSIR 2010).

O estudo da CSIR para Waterberg tem como objectivo desenvolver um conjunto de indicadores ecológicos que oferecem uma estimativa precisa do status ecológico dos ecossistemas dos rios e das terras húmidas na área em estudo. Isto será então utilizado para detectar processos de mudança existentes nos ecossistemas aquáticos e para estimar a direcção e magnitude prováveis no futuro das alterações que a deposição atmosférica, poluição e transferência de água irão causar (CSIR 2010).

As prováveis consequências adversas no Waterberg podiam ser minimizadas se os gestores e decisores baseassem as suas decisões e planos de acção na compreensão científica das relações causa-efeito que ligam as deposições atmosféricas e os padrões de uso da terra, às mudanças da qualidade da água e as suas consequências ecológicas (CSIR 2010).

Amostragem de algas a montante do rio dos Elefantes por Dr. Oberholster.
Fonte: CSIR 2010
( clique para ampliar )

Descobertas Interessantes até ao Momento

Durante as suas investigações foi descoberta no rio Lephalele uma rara colónia de protozoários - ophrydium versatile - nunca antes registada na África. Esta espécie indica boa qualidade de água nesta secção, uma vez que requerem alta penetração e persistência da luz, sendo sensíveis a metais pesados. A equipa CSIR também confirmou os relatórios do Departamento de Recursos Hídricos (DWA) de que uma nova espécie de peixe habita as águas do Waterberg (ainda por ser classificado) (CSIR 2009).

Para uma discussão da qualidade da água no rio dos Elefantes e outros estudos que estão sendo conduzidos pela CSIR veja o Estudo de Caso sobre o rio dos Elefantes superior.

Perguntas: Dr. Paul Oberholster poberholster@csir.co.za

 



Interactive

Explore as sub-bacias do rio Limpopo


Explore as interacções entre os organismos no meio aquático


Examine como o ciclo hidrológico faz a água circular na Terra


Cenas de vídeo filmadas ao longo do rio Limpopo relacionadas com o tema A Bacia do Rio