Botswana Mozambique South Africa Zimbabwe Sobre Como Usar Glossário Documentos Imagens Mapas Google Earth go
Favor fornecer feedback! Clique para detalhes
Home The River Basin People and the River Governance Resource Management
A Bacia do Rio
 Introdução
Geografia
Clima e Tempo
Hidrologia
Qualidade da Água
 Princípios
 Impactos Humanos na Qualidade da Água
 Água Subterrânea
 Efluentes Agrícolas e Eutrofização
Indústria e Mineração
 Efeitos das Minas
 Campo de Carvão de Waterberg
 Salinidade
 Dureza
 Organismos Microbiológicos e Patogénicos
 Metais Pesados
 Poluentes Orgânicos Persistentes
 Temperatura da Água
 Radio-Nuclídeos
 Estudo de caso
 Adequação ao Uso
Ecologia e Biodiversidade
Resumos das Sub-Bacias
 Referências

 



Feedback

send a comment

Feedback

 

Qualidade da Água: Indústria e Mineração  

Ambas, mineração e indústria, podem ter grandes impactos na qualidade da água. A extensão e a natureza do impacto são específicas do tipo de actividade mineira e industrial mas alguns dos impactos mais comuns incluem o aumento do conteúdo de metais, salinidade e carga de sedimentos (DEAT 2009).

As actividades mineiras e industriais na bacia do rio Limpopo são associadas com:

  • Mineração (principalmente carvão mas também uma variedade de metais preciosos e não preciosos);
  • Produção de energia; e
  • Indústrias químicas.

O mapa abaixo mostra a distribuição das minas através da bacia do rio Limpopo por tipo de mercadoria, conforme Ashton et al. (2001). A distribuição das minas está fortemente concentrada na África do Sul nas sub-bacias do Crocodilo, Marico e do rio dos Olifants e em um outro grupo significativo na parte zimbabueana da bacia. Com excepção de uma mina na costa não há minas em Moçambique e muito poucas em Botsuana.

Distribuição da actividade mineira na bacia do rio Limpopo.
Fonte: Ashton et al. 2001
( clique para ampliar )

Mineração

Enquanto informações gerais sobre impactos da indústria e de actividades relacionadas com mineração na qualidade de água na bacia do rio Limpopo estão disponíveis, um estudo chave levado a cabo por Ashton et al. (2001) – Impactos de Actividade Mineira e Processamento de Minerais no Ambiente Biofísico na África Austral – fornece uma das mais completas abordagens até a data. Este relatório ilustra a distribuição da actividade mineira e indústrias afins através das principais bacias dos rios da África Austral e delineia os impactos conhecidos destas actividades na qualidade da água e no ambiente.

Uma das principais conclusões retiradas deste relatório é que parece que as minas em áreas de baixa precipitação têm impacto baixo ou localizado nos recursos hídricos e na qualidade da água.

Minas localizadas em regiões mais húmidas têm impacto muito mais vasto devido aos predominantes processos de degradação química. O quadro abaixo resume as conclusões do relatório Ashton et al. (2001). Para a bacia do Rio Limpopo a informação é apresentada por sub-bacias.

De impactos das actividades mineiras e de processamento minerais nos recursos de água da bacia do rio Limpopo clicar aqui.

O que é Drenagem Ácida de Mina?

  • Drenagem de mina é uma água rica em metais formada através da reacção química entre as águas e as rochas, contendo minerais ricos em enxofre.
  • O escorrimento resultante é normalmente ácido e frequentemente vem de áreas onde as actividades de extracção de carvão expuseram rochas contendo pirite, um mineral rico em enxofre.
  • Drenagens ricas em metais podem também ocorrer em áreas mineralizadas que não tenham sido ainda objecto de actividade mineira.

Fonte: US EPA (n.d)

Drenagem ácida de minas ocorre nas seguintes situações:

  • Os poços de minas abandonados enchem-se de água da chuva ou água subterrânea drenada para dentro destes e para as obras abaixo da superfície. A água que enche os poços da mina é poluída por metais e químicos que eram subprodutos da actividade mineira e que são depois libertados para o ambiente, quando os poços transbordam, contaminando os aquíferos (IPS 2010).
  • A água superficial ou água da chuva é drenada através dos depósitos das minas contendo material contaminado, químicos e sedimentos, com resultados semelhantes aos descritos acima.

A água contaminada com drenagem ácida de minas contém sais (sulfatos) e metais pesados e é normalmente caracterizada por um grau de pH muito baixo (acidez) (Mail and Guardian 2010). A água contaminada é imprópria para o consumo humano ou animal bem como para a irrigação. Dependendo do tipo de mineração que ocorre numa determinada mina, a água pode incluir isótopos radioactivos. Os metais e químicos tipicamente encontrados na água contaminada podem causar doenças crónicas, incluindo falência de órgãos vitais, cancro, e defeitos congénitos de nascimento (Mail and Guardian 2010).

Uma vez que a bacia do rio Limpopo possui um vasto leque de minas, tanto activas como abandonadas, o ambiente está sob ameaça significativa. Á medida que aumenta o número de minas abandonadas na região e os programas de bombagem de água subterrânea nas minas terminam, aumenta também o risco da “drenagem ácida”. De acordo com um estudo levado a cabo pelo CSIR na África do Sul, a área de mineração em torno da região do Gauteng tem potencial para gerar cerca de 350 Ml/dia de “drenagem ácida” – um número similar aproximadamente ao volume de 140 piscinas olímpicas.

Em adição aos impactos directos nos humanos e no gado, empreendimentos vendendo frutas e legumes nos mercados locais e internacionais, manifestaram a sua preocupação no que concerne à segurança da futura produção de alimentos (Mail and Guardian 2010).

Indústria

A produção de energia e as indústrias químicas são as que produzem os maiores impactos em relação a quaisquer outros tipos de indústria na bacia do rio Limpopo. Indústrias estão muitas vezes associadas com depósitos de Metais Pesados e um exemplo de onde isto é uma preocupação eminente é o sistema do rio a volta do projecto em plano Campo de Carvão de Waterberg. O sistema aquático nesta parte da bacia do rio Limpopo é geralmente de boa qualidade e há preocupações de que os depósitos provenientes do gerador de energia a carvão, quando estiver a funcionar, assim como todos os efeitos associados à construção e ao funcionamento diário alterarão grandemente este ecossistema (SMS SIEMAG 2009).


Efluente de uma mina de cobre e níquel em Botsuana infiltra em um curso de água.
Fonte: Vogel 2005
( clique para ampliar )

Centro de Documentação do KSR Limpopo contém um relatório de Schippers e Schwartz (2005) sobre a situação da “drenagem ácida” na mina do BCL em Selibi-Phikwe, Botsuana.

 



Interactive

Explore as sub-bacias do rio Limpopo


Explore as interacções entre os organismos no meio aquático


Examine como o ciclo hidrológico faz a água circular na Terra


Cenas de vídeo filmadas ao longo do rio Limpopo relacionadas com o tema A Bacia do Rio