Botswana Mozambique South Africa Zimbabwe Sobre Como Usar Glossário Documentos Imagens Mapas Google Earth go
Favor fornecer feedback! Clique para detalhes
Home The River Basin People and the River Governance Resource Management
A Bacia do Rio
 Introdução
Geografia
Clima e Tempo
Hidrologia
Qualidade da Água
Ecologia e Biodiversidade
 Ecologia
 Ecologia Aquática
Terras Húmidas
 Funções das Terras Húmidas
 Biodiversidade
 A Avaliação dos Ecossistemas do Milénio
Resumos das Sub-Bacias
 Referências

 



Feedback

send a comment

Feedback

 

Terras Húmidas  

A Lei de Água Sul-africana (1998) define terra húmida como sendo a porção de terra que se encontra em fase transitória entre o sistema terrestre e o sistema aquático, na qual geralmente o lençol freático se localiza próximo da superfície ou a terra é periodicamente coberta com águas rasas, e onde em circunstâncias normais a terra suporta ou deve suportar um tipo de vegetação tipicamente adaptado a solos saturados.

A maior parte das grandes terras húmidasna bacia do rio Limpopo estão localizadas em Moçambique ao longo do Baixo Limpopo e rio Changane. O clima, solo e condições hidrológicas são factores que determinam a existência das terras húmidas. Para além destes, existem outros factores, contudo tais são determinantes em uma escala muito pequena, comparativamente aqueles acima referidos.

A vegetação, espécies de peixe e crustáceos das terras húmidas, constituem um valioso contributo para os meios de vida. Para mais escalarecimentos sobre o papel das terras húmidas na sustentabilidade dos meios de vida, favor de referir á secção Meios de Vida Sustentáveis do capítulo Meio Ambiente e Bem Estar sob o tema A População e o Rio.

O mapa abaixo indica avaliação (de alto nível) sobre a a distribuição das terras húmidas localizadas na bacia do rio Limpopo, informação fornecida pela WWF Global Lake and Wetland Database (GLWD). As zonas RAMSAR são em seguida apresentadas e discutidas

Terras húmidas na bacia do rio Limpopo.
Fonte: Lehner and Döll (2004)
( clique para ampliar )

Ramsar

A Convenção sobre Terras húmidas de importância internacional, foi adaptada na cidade Iraniana de Ramsar em 1971, e é geralmente conhecida por Convenção de RAMSAR. Trata-se de um tratado intergovernamental que providência um quadro reconhecido para acção a nível nacional e cooperação internacional, visando garantir a conservação e uso das terras húmidas e os recursos naturais associados (Ramsar 2010).

Um dos conceitos fundamentais da Convenção de RAMSAR, é o uso eficiente, definido como “manuntenção do carácter ecológico, arquivado através de implementação de abordageNS sobre ecossistema, no âmbito de desenvolvimento sustentável”.

Definição sobre Terras Húmidas conforme à Convenção de RAMSAR

Incluem lagos, rios, pântanos, charcos, campos húmidos, turfeiras, oásis, estuários, deltas e planícies costeiras, zonas marinhas próximas da costa, mangais e corais de recife, assim como locais construídos pelo homem incluindo viveiros de peixe, arrozais, reservatórios e salinas.

Fonte: Ramsar 2010

Sítios RAMSAR na Bacia do Rio Limpopo

Existem somente 3 sítios Ramsar designados por terras húmidas na bacia do rio Limpopo, nomeadamente:

  • Makuleke;
  • Reserva Natural de Nylsvley; e
  • Reserva Natural de Verloren Valei.

A localização destes sítios em relação ás outras terras húmidas é ilustrada no mapa em seguida, apresentado. Alternadamente, explore as localizações dos sítios Ramsar usando Google Earth.

Terra Húmida de Makuleke.
Fonte: Ramsar 2010
( clique para ampliar )

As descrições de cada sítio RAMSAR foram extraídas dos ficheiros sobre RAMSAR.

Makuleke

Sítio Ramsarn°1687
Localização: Limpopo, África do Sul
Área de ocupação: 7,757 ha
Coordinadas geográficas: 22°23'S 031°11'E
Tipo: Parque Nacional

Descrição: Um bom exemplo é a planície de inundação do tipo vlei, cuja maior parte da sua área ocupa o NKP, a norte e este da fronteira entre o Zimbabué e Moçambique. Algumas características prominentes incluem florestas ribeirinhas, florestas ribeirinhas em planícies inundadas, canais fluviais e outras áreas inundadas. Asdepressões formadas nas planícies de inundaçãosãoalimentadas de forma intermitente, através de cheias e chuvas; estas desempenham um papel importante neste ecossistema, uma vez que gozam do direito a água durante a estação de estiagem, funcionando assim como locais de refúgio para os animais bravios e aves aquáticas durante os meses de Inverno e Verão.

Podem-se encontrar 31 espécies de animais, incluindo os rebanhos de Hipopótamo(Hippopotamus amphibious).

As planicíes de inundação contribuem para atenuar o efeito das cheias, minimizando assim os danos causados pelas cheias nas zonas á montante de Moçambique; por outro lado, as planícies de inundação são importantes para a recarga da água subterrânea e manter o equilíbrio da vegetação ribeirinha. Existe uma iniciativa que tem como objectivo a harmonização da protecção da biodiversidade do Parque Nacional, região de Makulele, cujo interessados neste assunto são as comunidades rurais através da cooperação entre Community Property Association of Makuleke, Concelho dos Parques Nacionais e tantos outros Departamentos do governo. A declaração do Grande Parque Transfronteiriço do Limpopo (GLTP) em 2002 estabelecido através de um acordo internacional entre os governos da África do Sul, Moçambique e Zimbabué, para a gestão conjunta dos parques nacionais nas fronteiras e protecção das áreas de conservação, que inclui a zona RAMSAR.

Fonte: Ramsar 2010

 

Reserva Natural de Nylsvley

Sítio Ramsarn°952
Data: 07/07/98
Localização: Província do Norte, África do Sul
Área de ocupação: 3,970 ha
Coordenadas geográficas: 24º39'S 028º42'E
Tipo: Reserva Natural

Descrição: A Reserva Natural consiste em planícies de inundação ribeirinhas, bacias hidrográficas inundadas e vegetação de planícies de inundação constituem o tipo de terra húmida dominante no qual o rio é de regime sazonal associado a vegetação de planícies inundadas. O antílope roan (Hippotragus equis),uma espécie em risco de extinção, ocorre nesta terra húmida que serve de terreno fértil para a reprodução de oito espécies de aves aquáticas listadas na África do Sul, onde também se regista a ocorrência do arroz selvagem (Oryza longistaminata). Esta é uma área acessível ao turismo para observação da ocorrência das aves, bem como também área detrabalho voluntário, tendo em vista a limpeza das plantas exóticas invasoras e locais de protecção de aves.

Fonte: Ramsar 2010

 

Reserva Natural de Verloren Valei

Sítio Ramsar1110
Date:
16/10/01
Localização:
Mpumalanga, Árica do Sul
Área de ocupação:
5,891 ha
Coordenadas:
25°17'S 030°09'E
Tipo:
Nature Reserve

Descrição: É uma área protegida com altitude superior aos 2 000 m, existindo mais de 30 terras húmidas (14% da area Ramsar), que ocupam áreas que variam entre os 2 e 250 ha, suportando principalmente charcos permanentes de água doce e vegetação emergente durante a maior parte da estação. Sob ponto de vista hidrológico, esta constituí uma área de especial importância porque funciona como esponja na parte alta da bacia onde ocorrem sistemas hidrográficos importantes para ambos os países África do Sul e Moçambique, assegurando uma descarga gradual para região de maior densidade populacional, durante a estação húmida. Esta área suporta uma diversidade botânica elevada, formando um habitat adequado para a reprodução da espécie da ave grou carunculado (Wattled Crane Bugeranus). A variedade de tipos de terras húmidas da região é caracterizada por um número considerável de espécies vulneráveis e em ameaça de extinção que incluem plantas, borboletas e mamíferos. A área é caracterizada por uma fraca densidade populacional enquanto a actividade agrícola e pastagem são desenvolvidas nas áreas adjacentes. Existe um plano de maneio que integra as queimadas controladas empregando a população local. O turismo em pequena escala aos locais de observação de ocorrência de espécies de aves é orientado e planificado. Não estão previstas ameaças embora a introdução de espécies de plantas exóticas esteja a ser cuidadosamente observada.

Fonte: Ramsar 2010

 



Interactive

Explore as sub-bacias do rio Limpopo


Explore as interacções entre os organismos no meio aquático


Examine como o ciclo hidrológico faz a água circular na Terra


Cenas de vídeo filmadas ao longo do rio Limpopo relacionadas com o tema A Bacia do Rio