Botswana Mozambique South Africa Zimbabwe Sobre Como Usar Glossário Documentos Imagens Mapas Google Earth go
Favor fornecer feedback! Clique para detalhes
Home The River Basin People and the River Governance Resource Management
A População e o Rio

 



Feedback

send a comment

Feedback

 

Produção Pecuária  

A bacia do rio Limpopo encontra-se extensivamente coberta de vegetação natural ou de um mosaico de vegetação de terras agrícolas. A maior parte da vegetação natural fora das áreas de conservação é utilizada para a pastagem de gado. Há dois sistemas distintos de produção pecuária na bacia: “produção pecuária familiar e comercial, e culturas mistas ou sistemas de pecuária sob administração comunal” (FAO 2004).

Quase metade da área de terras situada na bacia da África do Sul e do Zimbabué é classificada como área de terras agrícolas comerciais para a criação pecuária (FAO 2004). Alguns criadores de gado estão a passar para o sistema de reservas de caça, devido ao grande potencial de lucro desta actividade através do turismo e safari. As pastagens melhoradas limitam-se à criação de gado leiteiro e não são predominantes na bacia. Em geral e em termos do número de pessoas envolvidas, a gestão comunal é a principal actividade agrícola entre os quatro Estados da bacia. O tamanho do rebanho é frequentemente pequeno e estimado em 10 cabeças no Zimbabué e em 4 a 10 cabeças em Moçambique. O número do rebanho é geralmente mais elevado no Botsuana. Uma vez que o pastoreio comunitário é normalmente descontrolado, não é propício à gestão ambiental, uma vez que pode levar ao sobrepastoreio e à degradação da terra se não for gerido correctamente.

Botsuana

No Botsuana, em 1995, 53 % das famílias agrícolas na bacia do rio Limpopo possuíam gado e 84 % cabras. A agricultura comercial limita-se às explorações agrícolas de famílias localizadas ao longo do rio Limpopo e às áreas de arrendamento da Política das Terras de Pastoreio Tribal, onde predomina o sistema tradicional. O sistema comercial é mais avançado do que o sistema tradicional nas suas técnicas de trabalho e do uso de insumos agrícolas, o que aumenta o desempenho da produção (FAO 2004). O pastoreio comunal encontra-se principalmente nas regiões de Hardveld, no leste, e representa 86 % da criação de gado do país, incluindo bovinos, caprinos e ovinos (49 % do gado nacional ocupa 25 % das terras).

Número médio de animais numa exploração agrícola comercial e numa exploração agrícola comunal (tradicional) no Botsuana

Produção pecuária

Bovinos

Caprinos

Ovinos

Comercial

1 000

113

120

Comunal

39

20

13

Fonte: FAO 2004

Moçambique

As contribuições pecuárias para a economia nacional de Moçambique são pequenas em relação ao seu potencial, representando apenas 5 % do número referente à pecuária de pico em 1980-1981. Apesar das pequenas contribuições para a economia nacional, a pecuária desempenha um papel importante nos sistemas de exploração agrícola familiar. Cerca de 12 milhões dos 80 milhões de ha de terra na bacia de Moçambique são designados como terras de pastagem. O rebanho bovino nacional diminuiu drasticamente durante a guerra, e tem evoluído desde então (FAO 2004).

África do Sul

Na África do Sul, os produtos pecuários (leite, ovos, carne, peles, etc) representam 25 % do produto agrícola nacional, enquanto que os produtos de origem animal contribuem com 45 %. Um estudo realizado em 2002 (GOSA-StatsSA 2002) constatou que 17,6 % das unidades agrícolas na província do Limpopo mantinham bovinos, 0,7 % gado leiteiro, 2,9 % burros, 22,7 % caprinos, 6,1 % suínos e 33,8 % aves.

Uma mulher a tratar do seu gado em Venda, África do Sul.
Fonte: Genthe 2003
( clique para ampliar )

Zimbabué

A baixa precipitação de chuvas na bacia do rio Limpopo no Zimbabué faz com que a pecuária seja uma opção mais viável do que a produção agrícola. Os bovinos são os animais mais valiosos devido ao alto preço de venda, à força de tracção e ao facto de servem como um activo para a segurança do rendimento familiar. Caprinos, ovinos, e aves são outros animais de criação habitual na bacia, sendo valorizados como fonte de carne e dinheiro. Os burros são reservados principalmente como animais de tracção.

A posse de animais é muitas vezes distorcida pelas diferenças de sexo, uma vez que os homens dominam a produção pecuária mais importante, como bovinos e caprinos, enquanto que as mulheres controlam o mercado das aves. Da mesma forma, a pecuária é um bem desigualmente distribuído dentro das comunidades, onde a maioria dos animais são propriedade de apenas alguns membros da comunidade. As áreas de pastoreio comunal na bacia são muitas vezes sistemas de baixa ou nula produtividade, ficando assim susceptíveis ao sobrepastoreio e à degradação (FAO, 2004).

Pecuária perto de Chokwé, Moçambique.
Fonte: Qwist-Hoffmann 2010
( clique para ampliar )

 



Interactive

Explore as sub-bacias do rio Limpopo


Cenas de vídeo filmadas ao longo do rio Limpopo relacionadas com o tema A População e o Rio


Veja o cronograma histórico dos países da bacia do rio Limpopo, incluindo os acordos de água e construções de barragens