Botswana Mozambique South Africa Zimbabwe Sobre Como Usar Glossário Documentos Imagens Mapas Google Earth go
Favor fornecer feedback! Clique para detalhes
Home The River Basin People and the River Governance Resource Management
A Gestão dos Recursos Hídricos

 



Feedback

send a comment

Feedback

 

Um Olhar para o Futuro  

A influência dominante no valor futuro da água na África Austral é a disponibilidade - abastecimento em relação à demanda. A menos que se implementem medidas de Conservação de Água e Gestão da Demanda de Água CA/GDA, muitos vão sofrer devido a recursos hídricos inadequados nos próximos 20-30 anos. A água é fundamental para o crescimento económico e meios de vida sustentáveis para as pessoas na bacia do rio Limpopo.

Os requisitos de água dependem em grande parte do clima, carácter da economia e padrão de vida (DWAF 2003a-e). Num cenário em que a população da bacia continua a crescer e há uma distribuição mais equitativa da riqueza, a demanda de água vai aumentar. Isto vai pôr pressão adicional nos recursos hídricos especialmente em áreas urbanas industrializadas, uma vez que muitas pessoas migram para estas áreas à procura de trabalho e melhores condições de vida.

A pesquisa actual indica que a mudança climática vai ser um factor muito influente, levando ao aumento da frequência e intensidade das secas na bacia (ver quadro abaixo). As partes ocidentais mais secas da bacia serão provavelmente as mais afectadas, que podem por sua vez afectar a segurança alimentar, visto que as partes ocidentais (WMAs Superior e Inferior) representam grande parte da produção agrícola da África do Sul.

A Mudança Climática é uma Questão Importante na África Austral

A mudança climática representa uma ameaça séria para os ecossistemas e bem-estar humano na África Austral a médio e longo prazo. Prevêem-se aumentos da temperatura de 2 a 6º C nos próximos 100 anos, acompanhados por alterações nos padrões de precipitação, aumentos no nível do mar e aumento da frequência de eventos extremos (secas e cheias). Estas alterações deverão ter impactos sérios no bem-estar humano e de outras formas de vida. Apesar de se desconhecer a natureza exacta das alterações, há um consenso geral sobre tendências gerais simuladas por modelos climáticos globais usando um conjunto consistente de cenários de emissões baseados nos mais recentes cenários sociais económicos do Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas (IPCC).

Apesar dos resultados do modelo variarem, existe um consenso geral de maior precipitação na África Oriental e secas no sudoeste de África. As alterações futuras na precipitação média sazonal em África não estão tão bem definidas. No cenário de aquecimento global mais rápido, cada vez mais áreas de África vão registar alterações na precipitação no verão ou Inverno que ultrapassam o nível da variabilidade natural. Grandes áreas da África equatorial e Oriental podem registar alterações em Dezembro–Fevereiro de 50–100%, com reduções em Junho–Agosto em partes do Corno de África. Está previsto algum aumento na precipitação de Junho-Agosto para o Sahel.

A mudança climática pode ter um impacto severo nos recursos hídricos, que já são escassos na parte sul da região. As temperaturas mais elevadas aumentam a demanda de evaporação mesmo que a precipitação não sofra alterações, todavia, o efeito de estabilização do dióxido de carbono a subir em simultâneo não é completamente compreendido. Uma maior incidência de secas causaria problemas óbvios em todos os sistemas. Um aumento na intensidade da precipitação e cheias pode destruir sistemas agrícolas bem como infra-estrutura para transporte e irrigação. A gestão de água em bacias partilhadas internacionalmente vai provavelmente ser mais afectada por questões de governação do que em termos de quantidade de água afectada por mudanças climáticas.

Fonte: Biggs et al. 2004

Os países da bacia terão de resolver algumas questões comuns para garantir um abastecimento de água futuro a um custo razoável (Eales et al. sem data):

  • Uma escassez de água eminente;
  • Pouca sensibilização popular de que os recursos hídricos regionais são finitos, aliada a uma percepção geral de que o governo tem a capacidade de fornecer muita água;
  • Estruturas de tarifas inadequadas, fraca recuperação de custos e problemas em conseguir que os consumidores paguem pelo abastecimento de água;
  • Um ênfase na instalação de sistemas de abastecimento de água, em vez de na sua manutenção;
  • Fraca educação, formação em gestão de água e apoio para consumidores rurais;
  • Graves problemas de degradação ambiental, particularmente relacionados com a gestão de terra rural;
  • Fraca coordenação entre agências de gestão de água;
  • Fraca atenção ao saneamento; e
  • Poluição relacionada com escoamento agrícola, drenagem ácida de rochas proveniente de minas e saneamento inadequado.

Uma maior pressão nos recursos hídricos vai aumentar o valor da água na bacia do Rio Limpopo. À medida que os Governos tentam mitigar os problemas com a construção de esquemas de transferência, actualização de infra-estrutura, implementação de iniciativas CA/GDA, entre outros, as tarifas de água vão ser aumentadas. Vai ser necessário rever mecanismos de distribuição de água para favorecer actividades economicamente benéficas.

Haverá uma maior pressão nos recursos hídricos no futuro (Rio Shashe).
Fonte: Vogel 2010
( clique para ampliar )

 



Interactive

Explore as sub-bacias do rio Limpopo


Examine o comércio de água virtual e a pegada de água dos países da SADC


Investigate the dams of the Limpopo basin


Cenas de vídeo filmadas ao longo do rio Limpopo relacionadas com o tema Gestão dos Recursos Hídricos