Botswana Mozambique South Africa Zimbabwe Sobre Como Usar Glossário Documentos Imagens Mapas Google Earth go
Favor fornecer feedback! Clique para detalhes
Home The River Basin People and the River Governance Resource Management

 

Infra-estrutura de Irrigação: Moçambique

Dado a que o rio Limpopo pode parar de fluir dentro da parte moçambicana da bacia até um período de oito meses por ano, o potencial de irrigação de 148 000 ha é considerado o limite superior, requerendo trabalho de armazenagem e cooperação entre os países da bacia (FAO 2004). O risco de perder as colheitas em agricultura de sequeiro na província de Gaza em Moçambique pode ser de 75 %.

Historicamente, o sector de irrigação foi concentrado nas empresas agrícolas estatais, recebendo fraca atenção em relação a sua sustentabilidade financeira (FAO 2004). Dificuldades relativas à gestão surgiram e as infra-estruturas deterioraram-se devido à ineficiências.

Até o começo da segunda metade dos anos 80, pouco esforço foi direccionado no desenvolvimento de esquemas sustentáveis de irrigação de pequena escala (FAO 2004). Em 1983 uma medida de politica foi iniciada, reconhecendo a importância de empresas familiares e redistribuindo as terras. Em 1988/89 a FAO estava envolvida na reabilitação e melhoramento de infra-estruturas de irrigação e drenagem das empresas familiares.

De acordo com o esboço da estratégia e política nacional de irrigação, os seguintes factores contribuíram para o declínio na irrigação (FAO 2004):

  • Terrenos irrigados foram abandonadas logo após a independência e os novos proprietários, devido à inexperiência, contribuiriam para as ineficiências
  • Infra-estruturas de irrigação foram destruídas ou abandonadas durante a guerra civil
  • Fundos públicos foram gradualmente reduzidos para irrigação
  • Falta de assistência técnica e apoios na zona rural para assegurar a manutenção e melhoramento dos esquemas de irrigação.

Esquema de Irrigação de Chokwé

O esquema de irrigação de Chokwé foi construído em inícios dos anos 50, está localizado na província de Gaza e é a maior de todo o Moçambique, ocupando uma área de aproximadamente 33 000 ha (Barros 2009; FAO 2004). Estende-se por 8 km a montante da barragem de Macarretane, com uma largura que varia de 3 a 18 km. O esquema de irrigação somente funciona em 25 % da sua área total, uma vez que o sistema deteriorou devido a períodos de secas, inundações, reformas políticas e institucionais, guerras e fraca gestão. O sistema foi concebido para trabalhar por gravidade, através da regulação dos caudais a montante da barragem de Macarretane (Barros 2009). Em finais dos anos 80 esta área foi a principal consumidora de água na bacia em cerca de 523 Mm3/ano.

Salinidade é o principal factor que limita o uso e desenvolvimento de terras para irrigação nesta porção de Moçambique. Solos salinos ocupam cerca de 70% da área a jusante do Vale do Rio Limpopo, onde o esquema de irrigação do Chokwé está localizado (FAO 2004).

Agricultura no Distrito de Chokwé de Moçambique.
Fonte: ARA-Sul 2009
( clique para ampliar )

Métodosde Irrigação

Os métodos de irrigação variam de acordo com as culturas, topografia e solo (FAO 2004). Irrigação por aspersão é utilizada para a produção de cana-de-açúcar, citrinos, frutas e vegetais. Irrigação por alagamento é utilizada para o arroz, bacias e sulcos para milho e vegetais. Agricultores de pequenas porções também utilizam sub-irrigação com controlo do nível freático, embora a eficiência seja relativamente baixa.