Botswana Mozambique South Africa Zimbabwe Sobre Como Usar Glossário Documentos Imagens Mapas Google Earth go
Favor fornecer feedback! Clique para detalhes
Home The River Basin People and the River Governance Resource Management
A Gestão dos Recursos Hídricos

 



Feedback

send a comment

Feedback

 

Infra-estrutura de Irrigação: Botsuana  

Devido ao facto da bacia no Botsuana ter várias grandes cidades, incluindo Gaborone, intersecções ou concorrência pela água é previsível e portanto a FAO considera a irrigação potencial de 5 000 ha mais realista do que a quantidade calculada de 15 200 ha do relatório do país na conferência do SADC em 1992 (SADCC-AIDAB 1992). Dos 1381 ha presentemente utilizados para irrigação, 56% é extraído do rio Limpopo e os seus tributários ou dos reservatórios de armazenagem, enquanto que 44% é extraído da água subterrânea. A maioria da irrigação é para a horticultura.

As técnicas de irrigação predominantemente utilizadas incluem a aspersão, que corresponde a 64% (FAO 2004). A irrigação localizada (i.e. irrigação de gota-a-gota e micro-aspersão) corresponde a 20% do total, enquanto que a irrigação de superfície (i.e. sulcos, alagamento, mangueiras, irrigação manual) é 16%.

Irrigação em Mashatu, Botsuana.
Fonte: Vogel 2010
( clique para ampliar )

Irrigação com Água (Gypsiferous) das minas de carvão

Um estudo de simulação feito no Botsuana comágua (Gypsiferous: rica em gesso e ferro) das minas de carvão com uma condutividade eléctrica (CE) de cerca de 310 mS / cm3 (Jovanovic et al. 2001), levou à conclusão de que sob as condições particulares de clima e solo do Selibe-Pikwe, grandes quantidades de águas residuais provenientes das minas podem ser aproveitadas com sucesso através da irrigação.

Entre 18 a 32 % do montante total de sais adicionados através da irrigação, foi previsto lixiviar após 11 anos, sendo o remanescente precipitado no perfil do solo, na forma de gesso. Um processo lento de dissolução do gesso e lixiviação pelas chuvas foi previsto após a cessação da irrigação com a água proveniente da mina. Isto significa que grandes quantidades de sal podem ficar imobilizadas no perfil do solo, removidos temporariamente pela água e libertados em pequenas quantidades na água subterrânea durante um longo período de tempo.

Fonte: FAO 2004

 



Interactive

Explore as sub-bacias do rio Limpopo


Examine o comércio de água virtual e a pegada de água dos países da SADC


Investigate the dams of the Limpopo basin


Cenas de vídeo filmadas ao longo do rio Limpopo relacionadas com o tema Gestão dos Recursos Hídricos