Botswana Mozambique South Africa Zimbabwe Sobre Como Usar Glossário Documentos Imagens Mapas Google Earth go
Favor fornecer feedback! Clique para detalhes
Home The River Basin People and the River Governance Resource Management
A Gestão dos Recursos Hídricos

 



Feedback

send a comment

Feedback

 

Demanda de Água: Exploração Mineira e Indústria  

A indústria tem uma demanda relativamente pequena nos recursos hídricos em cada país da bacia de acordo com os Indicadores de Desenvolvimento de 2007 (Banco Mundial 2010). O Botsuana tem a demanda industrial mais alta com 18 % enquanto Moçambique, África do Sul e Zimbabué têm demandas que variam entre 2 % a 7 % a nível do país.

A exploração mineira é um consumidor principal de água e tem um impacto ambiental nos recursos hídricos. As mercadorias extraídas na bacia do rio Limpopo incluem predominantemente ouro, asbesto, cobre, níquel, tungstato, pirite e esmeraldas (Ashton et al. a)Na página seguinte encontra-se uma visão geral visual das minas na bacia.

Enquanto a mineração é extremamente importante para o desenvolvimento económico da bacia do rio Limpopo, existem no momento preocupações significativas com os impactos negativos dos efluentes de mineração no ambiente. Uma vez que tal preocupação está relacionada com a drenagem ácida produzida nas minas. Para obter mais informação sobre a drenagem ácida, por favor consulte a secção Exploração Mineira e Indústriasno capítulo sobre a Qualidade da Água na Bacia do Rio.

Botsuana

Em 2000 o sector de exploração mineira e energia representava 18 % dasretiradas de água totais no Botsuana (Aquastat Botswana 2010), e apenas 9 % na bacia do Limpopo (LBPTC 2010). No Botsuana, a maioria da exploração mineira está associada aos cinturões de rochas verdes mineralizadas, sendo o cobre, o ouro e o níquel as mercadorias extraídas mais importantes (Ashton et al. 2001a).

Os Desafios de Gestão de Água Actuais e Futuros da Debswana no Botsuana

A Debswana, é um joint venture 50/50 entre o Governo do Botsuana e o Grupo De Beers e tem uma mina de carvão (Morupule) em Palaype perto do rio Lotsane que drena para o rio Limpopo no Botsuana.

Esta mina usa tipicamente menos de 70 000 m³ de água anualmente para operações e uso doméstico. Todavia, uma vez que estão previstos aumentos na produção, prevê-se um aumento nas demandas de água. A Debswana considera a conservação de água uma prioridade no desenho da fábrica proposto e planificação futura na mina de carvão de Morupule.

Fonte: Brook 2010

A mina de carvão de Morupule na bacia do rio Limpopo - Botsuana.
Fonte: Debswana 2010
( clique para ampliar )

Moçambique

A demanda de água industrial, incluindo exploração mineira, é bastante pequena a menos de 2 % da demanda de água total na bacia emMoçambique (LBPTC 2010). A exploração mineira é considerada promissora em várias partes de Moçambique (LBPTC 2010). Está a ser feita prospecção de areias pesadas na parte sul da sub-bacia do Baixo Limpopo. O maior projecto previsto na bacia em Moçambique foi o projecto de metais pesados de Chibuto que foi entretanto abandonado (LBPTC 2010). O gás natural também é prevalecente nestes distritos apesar de ainda não haver extracção. Em geral, a actividade industrial de grande escala na bacia em Moçambique é muito insignificante e a rede comercial é fraca. As economias dominantes são predominantemente ofícios de pequena escala tais como carpintaria, moagens e padarias, apesar do distrito de Chibuto ser conhecido pela sua indústria de descasque de arroz (LBPTC 2010).

África do Sul

A exploração mineira representa aproximadamente 8 % da demanda de água na África do Sul na bacia do Limpopo (LBPTC 2010). A exploração mineira é dominada pela produção de ouro na África do Sul e representa 10 % do seu PIB (Aquastat South Africa 2010). Apesar da África do Sul ser o principal produtor mundial de ouro, a sua contribuição para rendimento mineral total do país diminuiu significativamente desde 1946. A África do Sul é também o principal produtor e exportador de vários metais incluindo antimónio, cromite, fluorite, pedras preciosas e diamantes industriais, manganésio, platina, vanádio e vermiculite.

Conforme notado na tabela e mapas em Exploração Mineria e Indústria na Bacia, a sub-bacia do rio Crocodilo na África do Sul, tem o maior número de minas de qualquer sub-bacia do rio Limpopo com 79 sendo que 61 estão operacionais (Ashton et al. 2001a). As minas de carvão são predominantes na no Alto Olifants (Upper Olifants) e a maioria das minas de ouro está localizada na bacia de Shingwedzi.

Zimbabué

De todas as minas na bacia do rio Limpopo, 20 % estão dentro das fronteiras do Zimbabué. Os sectores urbano, industrial e de exploração mineira são os principais consumidores de água na bacia do Limpopo no Zimbabué, representando aproximadamente 50 % da demanda de água total (LBPTC 2010).

A produção de ouro no Zimbabué é central para a indústria mineira do país com mais de 2 000 minas operacionais dispersas pelo país, apesar de serem predominantes na parte ocidental do cinturão de rochas verdesGwanda Greenstone Belt e anteriormente no Lower Gwanda Greenstone Belt (Schluter 2006; Ashton et al. 2001a).

As maiores três minas listadas na bacia do Limpopo no Zimbabué estão na sub-bacia de Mzingwane e produzem argila e pedra calcária (Na Bacia).

 



Interactive

Explore as sub-bacias do rio Limpopo


Examine o comércio de água virtual e a pegada de água dos países da SADC


Investigate the dams of the Limpopo basin


Cenas de vídeo filmadas ao longo do rio Limpopo relacionadas com o tema Gestão dos Recursos Hídricos